Com embarque de animais vivos e tecnologia de proteção do meio ambiente, Pronave consolida liderança no Porto 

A empresa é pioneira no transporte de bovinos, líder na operação de barrilha e desenvolveu e implementou tecnologia  de controle da poluição.
Empresa responsável por 50% da operação de carga e descarga de mercadorias dos navios que atracam no Porto de São Sebastião, movimentando granéis sólidos (barrilha, sulfato, cevada, malte, enxofre), a Pronave inova e embarca um novo produto: gado bovino vivo.
Do ponto de vista tecnológico, a Pronave também registra pioneirismo: utilizando mão-de-obra própria e local, pesquisou, desenvolveu, construiu e implantou um sistema de controle de poluição do ar que reduz significativamente poeiras originadas na descarga de granéis.


Gado bovino e barrilha
A Pronave é pioneira no transporte de bovinos no Porto de São Sebastião, sendo a única empresa na cidade capacitada para fazer a movimentação dessa carga.
O gado que chega ao Porto de São Sebastião é originado no Estado de Minas Gerais e é exportado para diversos países, principalmente a África do Sul.
No entanto, o principal produto movimentado pela Pronave é a barrilha, utilizada pelas indústrias vidreiras, estabelecidas em sua maioria no Estado de São Paulo.
A barrilha, que é descarregada do navio, fica depositada em armazém alfandegado, localizado no centro cidade, até que as autoridades a liberem e seja retirada pelos importadores.
Após a liberação, a barrilha é transportada por meio de caminhões até o seu destino.
Em média, cada navio transporte 14 toneladas do produto, sendo necessário 14 caminhões para fazer todo o transporte.


Assessoria técnica aduaneira
Além de carregar e descarregar os produtos nos navios, no período que antecede a atracação, a Pronave assessora o cliente com informações sobre o melhor momento para atracar o navio, tendo em vista a disponibilidade do espaço no porto (berço) e outros fatores.
Após a atracação do navio, a empresa assume a responsabilidade pela operação de carga e descarga, com a supervisão também do comando do navio e, além disso, se responsabiliza pela parte burocrática da carga, através da empresa co-ligada Suma – Assessoria Técnica Aduaneira Ltda.
“Em 2008, aSuma completou 26 anos de existência, reconhecida como uma empresa séria e competente na área de despachos e assessoria aduaneira, o que muito nos orgulha”, conta Walter de Souza, sócio e diretor administrativo da Pronave e da Suma.


Tecnologia
A Pronave investe 20% do seu orçamento em tecnologia. Paraisso, a empresa possui uma oficina, onde promove testes e constrói novos equipamentos, com o objetivo de aperfeiçoar os sistemas de carga e descarga eproteger e preservar o meio ambiente.
O investimento transformou a empresa em pioneira na criação de um novo conceito em funil (moenga), utilizado na descarga de granéis, equipado com dispositivo anti-poluição, único no país.
Para isso, a empresa montou uma equipe altamente especializada, utilizando tecnologia brasileira e mão-de-obra própria e local, sob coordenação do engenheiro Nelson Nefussi, especialista em controle da poluição e proteção do meio ambiente.

O principal trabalho de desenvolvimento tecnológico foi o redesenho e redimensionamento do equipamento de descarga e a criação do controle de processo digital de sua operação, o que exigiu a criação de uma equipe multidisciplinar reunindo especialistas em mecânica, física, química e informática.

O sistema desperta à curiosidade de operadores portuários de outros estados e países, pois cumpre a legislação ambiental e atende a normas de higiene e segurança no trabalho e de saúde pública.


Uma historia que começa em 1994
A empresa Pronave Agentes de Comércio Exterior Ltda, com sede em São Sebastião, Litoral Norte de São Paulo, surgiu em 1994, há 18 anos, fundada pelos sócios Walter de Souzae Dam Kajyia.
Porém, a história da Pronave começa em 1989, quando os sócios Walter de Souza e Dam Kajyia, junto com um terceiro sócio, criaram a Samar Agência Marítima Ltda, empresa que exercia a atividade de agência de navegação. Em 1993, dois episódios importantes marcam a fundação da Pronave.
Um deles foi a saída de um dos sócios, o que tornou necessário o fechamento da empresa Samar Agência Marítima Ltda. Nessa época, o sócio Dam Kajiya tinha uma empresa com o nome Pró- Nave Fornecimento de Bordo Ltda, que se destinava a comercialização de materiais destinados ao consumo de bordo, que se encontrava inativa. Para que a Pronave pudesse iniciar imediatamente suas atividades e dar continuidade às operações portuárias, os dois sócios decidiram utilizar esse nome fazendo apenas as mudanças necessárias no contrato social, retificando o nome para Pronave – Agentes de Comércio Exterior Ltda e o objetivo social para Operador Portuário.
O outro episódio marcante na fundação da Pronave foi à criação pelo Governo Federal da Lei 8630/ 93, que ficou conhecida como a Lei da Modernização dos Portos, que promoveu profundas mudanças no regime das operações portuárias no país. Já na condição de líder nas Operações Portuárias, em São Sebastião, a Pronave foi protagonista, junto com outras empresas locais, de mudanças estruturais, regimentais e, em especial, do novo relacionamento Capital – Trabalho, se envolvendo diretamente na administração do Ogmo (Órgão Gestor de Mão-de-Obra). Paralelamente, a Pronave passou a investir em cursos de capacitação para os seus funcionários, na aquisição de máquinas e equipamentos modernos, o que resultou na importação de grabs (conchas automáticas)da Alemanha e na fabricação de moengas (funis para descarregar granéis), com o objetivo de minimizar os custos operacionais e aumentar a produtividade.


Carga e Descarga de Produtos
Em 1994, ano da sua fundação, a Pronave contava com apenas quatro funcionários e dois diretores. Hoje a empresa possui 20 funcionários diretos, que atuam em regime normal e em turnos, além de mão-de-obra avulsa, formada por trabalhadores devidamente registrados no Ogmo.
O crescimento da empresa não alterou o perfil da Pronave, que ainda mantém as características de uma empresa familiar que tem autorização e está preparada técnica e materialmente para operar em qualquer porto do país.
“Por enquanto, concentramos nossas atividades no Porto de São Sebastião”, comenta Maximiliano de Souza, Diretor Presidente da Pronave. “Mas temos planos de expansão, não apenas com relação ao trabalho portuário, mas também em tecnologia de estiva.”

Notícias

LOGÍSTICA