Pronave transporta tanques de 150 toneladas no

Porto de São Sebastião

A Pronave Agentes de Comércio Exterior Ltda, a partir das 7h00, desta quinta-feira, dia 12, iniciou o embarque no navio Ibis Arrow, atracado no Porto de São Sebastião, de quatro tanques vazios, cada um pesando 150 toneladas, que serão utilizados para carregamento de suco de laranja.
O transporte dos tanques, com 17 metrosde altura e 12 metrosde largura, deve ser encerrado no prazo de quatro dias, dependendo da condição meteorológica, e está movimentando uma equipe de cerca de 50 funcionários, entre operadores portuários, trabalhadores portuários avulsos, armadores, transportadores e demais prestadores de serviços. Os tanques foram construídos pela empresa Trilobes e, até serem transportados para o navio, ficaram guardados na instalação da empresa Dedini S/A Indústria de Base, situada no pátio do porto sebastianense.
Para transportar os tanques até a beira do cais interno foram usadas duas linhas de eixo, que percorreram uma distância de 700 metros. Após chegar ao cais, os tanques foram colocados em um guindaste gigante que fica sobre uma balsa, chamado de “cabrea”, que transportou a mercadoria até o porão do navio.
De São Sebastião, o navio vai seguir para o Porto de Santos, onde os tanques serão abastecidos com 1,7 mil litros de suco de laranja, que serão exportados para a Europa. Por ser uma operação de embarque de mercadorias de grande proporção, a Pronave promoveu diversas reuniões pré-operacionais, visando principalmente à segurança da equipe de trabalho.
“Nós transportamos para o navio um tanque por dia, uma operação de até 12 horas, que somente foi interrompida durante a noite para garantir a segurança da equipe”, explica o diretor da Pronave, Maximiliano de Souza.
O gerente de orçamento da Dedini, Luiz Ademir Fuzatto, afirmou que a empresa escolheu construir os tanques no Porto de São Sebastião por uma questão de viabilidade técnica, já que a área das instalações fica mais próxima do cais do que no Porto de Santos.

 

“Essa operação é inédita devido à distância percorrida pelos tanques até atingir o navio, além de toda a operação envolvida nesta logística. Na Europa, tanques desse porte são construídos na beira do cais ou nos rebocadores”, explica.
No entanto, o gerente salienta que a operação é lenta, mas não oferece risco para os trabalhadores e afirma que pretende continuar operando no porto sebastianense. “O Porto de Santos está saturado”, conclui.


Pronave

Antes do embarque dos tanques, a Pronave Agentes de Comércio Exterior Ltda já havia trabalhado com a empresa Dedini, com transporte de aço, no porto sebastianense. A empresa tem prática em embarque e desembarque de mercadorias de grande porte. Em dezembro de 2008, a Pronave fez a descarga da fábrica de cimento da Votorantim e de compressores para a base de gás de Caraguatatuba.

Notícias

LOGÍSTICA